Poema petiz [3]

 

 

 

 

 

 

TV

Chego em casa da escola
Vou ligar minha TV
Vou correndo sem demora
Para nada eu perder

Minha vida é assistir
Bastante televisão
Isso é bom para a cabeça
Estimula a imaginação

Vejo todos os desenhos
Um a um, já sei de cor
Sei do legal e sei do chato
Do melhor e do pior

E no sofá
Quase que o dia inteiro
Ideias me vem a cabeça

Sou um super herói forte
Que hoje venceu a morte

Sou amigo, sou leal
Enfrentando todo o mal

Ah, isso é bom, eu me divirto
Faz bem para o corção
Mas só peço uma coisa
Não quebre, televisão

Espaço Aberto [5]

 

 

 

 

 

 

Pedro Bandeira é o autor de literatura juvenil mais vendido no Brasil (vinte milhões de exemplares até 2006) e, como especialista em letramento e técnicas especiais de leitura, profere conferências para professores em todo o país. É autor de setenta e sete livros publicados.

Por enquanto eu sou pequeno – Pedro Bandeira
Por enquanto sou pequeno,
mas vou aprender a ler:
já sei ler palavra inteira,
leio pra cima, e pra baixo,
e plantando bananeira!
Por enquanto sou pequeno,
uma coisa vou dizer,
com certeza e alegria:
sei que nunca vou esquecer
da beleza da poesia!

Quer ver sua Poesia aqui no Espaço Aberto?
Envie-a com seus dados para poezinha@hotmail.com

Experiência e repertório [3]

O evangelho segundo Jesus Cristo – José Saramago

 

 

 

 

 

 

 

 

Descrição

O livro conta uma história humanizada da vida de Jesus e alude a uma sua eventual relação com Maria Madalena (no livro, foi com ela que Jesus “conheceu o amor da carne e nele se reconheceu homem”). Ao adaptar essa perspectiva, de humanização de Cristo, distante da representação tradicional do Evangelho e evidenciando o seu caráter frágil e vulnerável, Saramago coloca que a propagada histórica da crucificação de Jesus, “um revulsivo forte, qualquer coisa capaz de chocar as sensibilidades e arrebatar os sentimentos”, resultou na imposição de “uma história interminável de ferro e de sangue, de fogo e de cinzas, um mar infinito de sofrimento e de lágrimas”

Considerações

No Evangelho segundo Jesus Cristo podemos encontrar uma visão mais moderna e humana dos passos quais Jesus deu na terra, Saramago se baseia quase que totalmente no Apócrifo de Maria Madalena, assim, nos traz uma história rica em detalhes e criativa, por algumas críticas a religião já foi considerado como blasfêmia. Acredito que este livro acrescenta, e muito, para quem se interessa em romances religiosos, e quem gosta de ouvir novas versões para fatos históricos. Creio ser um ótimo livro, mas aconselho que leiam só aqueles que tiverem uma fé ou crença sólida para que não se deixem levar por algumas coisas mal colocadas do livro.

Cômicozinha [3]

 

 

 

 

 

 

Bebida diária

Ele chega calmamente
De mansinho vai chegando
Vai embora diferente
Vai sempre cambaleando

Sua vida é assim
Se resume a alguns frascos
Cerveja, cachaça, whyske
E glicose é necessário

Toma todas quando chega
Não desgruda da cerveja
Esquece de toda a tristeza

E todo dia sempre foi
Todo dia ele vai
E não deixa pra depois
Bebe tudo e logo cai

Ele nunca vai mudar
No seu dia nada muda
O fígado começa a gritar
Este precisa de ajuda

Sentido pascal

Olá! Adiei o post de ontem para hoje por se tratar de um post sobre a páscoa.
Abraços e Feliz Páscoa!

 

 

 

 

 

 

Sentido pascal

Discordância sempre existe
Se expõe cada cultura
Dentro do seu limite

Mas o limite, qual é?
Exploram fator econômico
Na famigerada  fé

Se o sentido é liberdade
Ou mesmo ressurreição
É rota de colisão
Discutir a ambiguidade

Se alguém guarda isso em si
E acredita veemente
Aborta o risco iminente
Que existe a discutir

O maior sentido pascal
Ou de qualquer festividade
É semear a igualdade
Para um mundo mais leal

Independe de Jesus
Ou Moisés contra cerviz
Para o homem ser feliz
Ele mesmo se conduz

Poema petiz [2]

 

 

 

 

 

 

 

 

Cor do chão

Tenho que tomar cuidado
No chão que tem outra cor
Pois se piso sou queimado
É lava, já sinto o calor

Tem também o chão de água
Mas eu mal aprendi nadar
Ando sempre com cuidado
Para eu não me afogar

Tem um que é um buraco
Um buraco sem fim
Não quero cair para sempre
Isso não quero para mim

Vou andando na cor certa
Para tudo ficar bem
Me aventuro, corro riscos
Mas não conto para ninguém

Pois papai diz que não é nada
É apenas cor do chão
Adulto atarefado
Não tem imaginação

Espaço Aberto [4]

 

 

 

 

 

 

 

 

William Shakespeare foi um poeta e dramaturgo inglês, tido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo. É chamado frequentemente de poeta nacional da Inglaterra. De suas obras restaram até os dias de hoje 38 peças, 154 sonetos, dois longos poemas narrativos, e diversos outros poemas. Suas peças foram traduzidas para os principais idiomas do globo, e são encenadas mais do que as de qualquer outro dramaturgo.

Soneto CV – William Shakespeare

Não chame o meu amor de Idolatria
Nem de Ídolo realce a quem eu amo,
Pois todo o meu cantar a um só se alia,
E de uma só maneira eu o proclamo.
É hoje e sempre o meu amor galante,
Inalterável, em grande excelência;
Por isso a minha rima é tão constante
A uma só coisa e exclui a diferença.
‘Beleza, Bem, Verdade’, eis o que exprimo;
‘Beleza, Bem, Verdade’, todo o acento;
E em tal mudança está tudo o que primo,
Em um, três temas, de amplo movimento.
‘Beleza, Bem, Verdade’ sós, outrora;
Num mesmo ser vivem juntos agora.

Quer ver sua Poesia aqui no Espaço Aberto?
Envie-a com seus dados para poezinha@hotmail.com

Experiêcia e repertório [2]

O caçador de pipas – Khaled Hosseini

 

 

 

 

 

 

 

 

Descrição
Conta a história de Amir, um garoto rico de Cabul, no Afeganistão, que é atormentado pela culpa de ter traído seu criado e melhor amigo, Hassan, filho de Ali, também empregado do seu pai. A história tem como cenário uma série de acontecimentos políticos tumultuosos, que começa com a queda da monarquia do Afeganistão em Julho de 1973, com deposição do rei Zahir Shah, golpe de estado comunista em abril de 1978, invasão soviética, em Dezembro de 1979, a consequente massa de emigrantes refugiados para o Paquistão e para os EUA e a implantação do regimeMilitar pelos Talibã.

Considerações
Os romances escritos por Khaled Hosseini tem uma temática bacana há ser trabalhada, já que se passam durante fatos históricos. Em o Caçador de pipas não é diferente, vários fatos históricos reais acontecem no decorrer do livro, interferindo na vida dos personagens, é uma história que pode ser trabalhada de algumas maneiras em forma de poesia, destaco o arrependimento, o livro nos mostra longos anos de distância e arrependimento dos antigos amigos, Amir e Hassan. Quem gosta de uma leitura que nos prenda até o fim, e também é chegado em fatos históricos, não pode deixar de ler.

Cômicozinha [2]

 

 

 

 

 

 

 

Esconde – esconde

Ligeiro ele chega em casa
Perambula no rastro de brasa
Tinha alguém ali, mas criou asas

Voou de uma vez
Volta em uma semana
Com tremenda rapidez
Se esconde em baixo da cama

Outro que ali está
Como um morador diário
Sempre que o homem chega
Se esconde no armário

Outro se escondem de pressa
Até dentro da banheira
Se escondem atrás da cadeira
Ou dentro da geladeira

Mas tudo que fazem é em vão
Não tem por que desesperar
Pois se o homem chega na porta
O galho não deixa entrar

Formosa vil

 

 

 

 

 

 

Formosa vil

Seu charme vem da beleza
Mas vem só por meio dela
Pois  se enche de crueza

Atenua o sentimento
Penso, não vai ser ela
Mas penso por pouco tempo

Me entrego novamente
Me entrego a seu dispor
Penso que quer amor
Mas logo se faz poente

Crueldade sem medida
Estagna meu caminho
Me sinto um tanto mesquinho
Ela estanca minha vida

Sem ter pena ou dó alguma
Me distancia do caminho
O qual ela sempre ruma

Vou tentar não mais te ver
Mas caso você me chame
Eu, tolo, vou a você